Notícias

Auxiliares de Guedes avaliam que troca em ministério pode ajudar reformas

Postado às 05h16 | 07 Feb 2020

Painel

A chegada de Rogério Marinho ao Ministério do Desenvolvimento Regional pode ajudar a pavimentar o caminho das reformas econômicas com menos turbulências, na avaliação de auxiliares de Paulo Guedes (Economia). O novo chefe da pasta é considerado homem com trânsito no Congresso. Gustavo Canuto não era do grupo de Guedes e os dois tiveram divergências em reuniões ministeriais. No ano passado, ele também foi fustigado por líderes políticos pela demora em pagar emendas.

Quem manda Na avaliação de congressistas, a mudança é mais uma demonstração de força de Paulo Guedes. Na semana passada, Jair Bolsonaro transferiu o PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) da Casa Civil para a Economia, esvaziando a pasta de Onyx Lorenzoni.

Estica e puxa Sobre as emendas, no entanto, o governo terá neste ano mais limitações para usar o instrumento como moeda de troca política, com a entrada em vigor do Orçamento impositivo. Parlamentares tentaram retirar todo o manejo das mãos do Executivo, mas Bolsonaro vetou a medida em dezembro. A análise do veto ainda será feita pelo Congresso.

Deixe sua Opinião